segunda-feira, 28 de março de 2011

...estou me sentindo um adolescente?


Um mês. É, por incrível que pareça para mim, estou namorando há um mês. Quem diria?! Quem não me conhece e lê esse post, talvez pense que eu era o maior sem vergonha da cidade. Mas não é bem assim. Estou apenas surpreso pois consegui encontrar, em meio ao nosso mundo, alguém que tenha objetivos de vida, limpo, honesto, que não se droga, que demonstra gostar de mim da mesma forma e, o principal de tudo: alguém em quem sinto que posso confiar.

O modo que nos conhecemos foi muito estranho (hehehe). Depois que decidi parar de procurar a pessoa certa para namorar, me cadastrei em um site de relacionamento chamado Badoo (alguém conhece? Hehehehe) só pela safadeza. Pois é?! Foi nesse site que nos encontramos.

De início jurei que não rolaria nada mais que uma conversa pelo msn. Mas eu estava enganado. Em um primeiro momento conversamos bem pouco e, acredito que só depois de uma semana que voltamos a nos falar, mas dessa vez, com uma intensidade maior. Conhecemos um pouco mais de cada um: hábitos, manias, gostos, prazeres e acabamos percebendo que ambos estavam na mesma "vibe". Ambos querendo encontrar alguém para "ficar mais serinho", mas ao mesmo tempo, desiludidos com os seres humanos de hoje em dia. Os dias foram passando e começamos a nos falar diariamente. Por fim, decidimos nos conhecer.

Eu, sempre muito ansioso, resolvi fazer uma surpresa no dia 15/03 (dia do Show da Shakira em Poa). O que fiz? Armei uma tocaia em frente ao seu trabalho às sete e meia da manhã. Quando nos encontramos, eu tremia mais que vara verde. Tipo, nervoso. Será que me curtiu? Será que me achou bonito? Será que daremos continuidade? Será? Será? Eram tantas as perguntas que só obtiveram suas respostas no outro dia, quando descobri que as mesmas não estavam incomodando apenas a mim.

Na quinta (17/03), saí no meu horário de almoço e nos encontramos no Centro para conversarmos um pouco. Foi nesse dia que trocamos o primeiro beijo. Combinamos então de nos encontrarmos no sábado seguinte para ver o rumo que as coisas poderiam tomar. E foi! No dia 19/03, após um aquece com os amigos no Capadócia, nos dirigimos até Eldorado do Sul. Naquela noite, banhados pela maior lua cheia dos últimos dezoito anos, resolvemos dar uma chance aos dois e firmar um relacionamento.

Sempre critiquei amigos que namoravam pessoas de outra cidade e até, amigos que começavam a namorar da noite para o dia. Ora pois, paguei tudo que falei para cada um deles. Só tenho a dizer que estou muito feliz, muito mesmo. Pois todo carinho que dou está sendo retribuído. Cada gesto, cada abraço, etc. Sei que ainda temos muito a viver e muito a conhecer sobre nós mesmos. Afinal, em um mês a gente não consegue conhecer totalmente alguém. Mas como eu mesmo falo: "temos muito tempo para isso".

Pode parecer estranho alguém comemorar um mês de namoro. Normalmente comemora-se um ano, dois e por aí vai. Mas se estou fazendo isso, é por que considero realmente válido para mim. Quem me conhece sabe que não faço nada forçado ou contra minha vontade.

Para finalizar, quero deixar um recado:

"Ju, não encontrei uma forma melhor do que essa para expressar os meus sentimentos. Já te disse que não sou bom com palavras, por isso resolvi contar um pedacinho de nossa história. E acima de tudo, dizer que estou gostando de você sinceramente.

Em um mês já passamos por várias situações: dormimos separados no mesmo quarto, discutimos por coisas banais, tive crise de ciúmes, passamos um domingo inteiro abraçados assistindo filmes, jogamos Imagem & Ação com as meninas, dentre outras. Isso tudo, sendo que só nos encontramos para ficar juntos aos finais de semana. :) Aproveitando, quero te dizer que tiro o máximo de cada momento que passo contigo e, que ainda tenho muito a te mostrar e, quem sabe ensinar. Mas também, tenho muito a conhecer, e quem sabe aprender com você."

Beijão

Nota: espero que goste do post e que volte a falar comigo depois de ler todo dele. Afinal, você mandou uma mensagem no facebook me cutucando por não ter entrado no msn ainda e que tinha te deixado esperando a noite toda. Se te fiz esperar, foi por um motivo nobre e bom motivo. :) Te gosto!

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

...as ironias do destino cruzam o nosso caminho?

E ae galera! Maior tempão que eu não aparecia por aqui. Digamos que andei bem atarefado nos últimos dois meses, por isso andei meio distante. Mas hoje tive um motivo ótimo para reativar meu diário online e garantir que não sumirei tão cedo.

Hoje vi algo que não precisava. Meu dia estava simplesmente ótimo. Acordei com um bom humor maravilhoso e consegui fazer várias coisas no trabalho. Ao sair da empresa consegui fechar uma venda das boas para um dos meus postos (surpresa!). Pelo que parece, tudo estava indo bem demais. Mas foi no caminho pra casa que a ironia do destino fez questão de cruzar o meu dia.

Estava eu, bem faceiro no penúltimo banco do ônibus, escutando minha playlist bem feliz (a música que rolava no momento era "The Time 'Dirty Bit' - BEP") quando vejo na roleta um "caso" do ano passado. E o melhor de tudo, estava com o novo namorado. EU QUERIA MORRER!

Bom, virei para a janela como se não estivesse prestando atenção em mais nada que não fosse a rua e os mesmos passaram por mim e sentaram no último banco, ATRÁS!! Posso com isso? Acredito que de início ela não percebeu que eu, Jr, estava sentado no banco em sua frente. Fiquei tão nervoso que não conseguia mais prestar atenção na música. O que fiz? Liguei para Dmenor (melhor coisa que eu poderia fazer). Pedi, bem baixinho, para que ela ficasse falando comigo até eu descer da condução. Não demorou para ela entender que eu não poderia dar muitas explicações no momento, então continuamos o papo. Foi quando minha voz voltou ao tom normal, que a criatura sentada atrás percebeu quem era o "estranho" que falava ao telefone. Pegou suas coisas e sentou em um banco mais a frente, deixando o namorado no banco de trás. Graças a Deus que logo cheguei na parada. Desci, e finalmente pude colocar tudo para fora no telefone (pobre da Dany!).

Não consigo descrever um sentimento correto para o momento. Não sei se era ciúme, se era ódio, se era remorso, se era arrependimento por algumas atitudes que tive com ela, não sei, simplesmente não sei. Só tenho uma certeza: essa criatura foi a unica pessoa que mexeu comigo desde que terminei meu relacionamento em 2009. Foi a unica pessoa que fez meu peito se abrir e agora, se fechar novamente. A Dmenor disse que eu já deveria ter esquecido e ter partido para outra há muito tempo. Me deu mais alguns conselhos e desligamos o telefone. Nada como uma opinião feminina para fazer nossos pensamentos mudarem.

Quando coloquei os fones no ouvido novamente, talvez por coincidência, estava começando a música "Cry For You - September". Bom, procurei não escutar mais nenhuma música até chegar em casa, apenas essa (repeti ela umas quatro vezes).

Bom galera, agora estou mais leve! Coloquei pra fora o que me afligia e deixo com vocês o video da musica que me fez mudar de espírito.

Beijão pra todo mundo!!!

P.S: quando estava no segundo ônibus para casa, dei de cara com eles novamente ¬¬'
Estavam caminhando em direção a casa dela. Mas aí, já tinha conversado com a Dany e o sentimento que me deixou sem reação no primeiro ônibus, já não me afligia mais! =]


sábado, 29 de janeiro de 2011

...os astrônomos acham que podem inserir um novo signo no zodíaco?


Acredito que como eles não têm mais o que fazer, acharam que seria uma ótima ideia fazer isso. Baseado em que? Eles beberam? Se chaparam? Ou algo do tipo? Cada dia descobrem uma constelação nova e, por ninguém mais dar bola para isso, tinham que criar polêmica para chamarem a atenção pra eles.



Não conheço um ser humano se quer, que não goste do seu signo e que não se identifique com ele. Se existe alguém, por favor, se pronuncie. Essa gente não sabe mais o que inventar para chamar a atenção e agora saíram com essa. Ah! Faça-me o favor!

Sou do signo de Escorpião e tenho muito orgulho disso! Sou teimoso, possessivo, amigo, sincero, cara-de-pau, extrovertido, preguiçoso (às vezes), caprichoso, impulsivo e, como todo bom escorpiano, ADORO sexo.

Se eu fosse me deixar influenciar por essa nova descoberta dos astrônomos, meu signo real seria Libra. "Da onde?" Nada contra librianos, gosto muito dos que conheço. Mas tipo, não tenho nada de libra. Nada mesmo.

Sinceramente, espero que esses caras que se auto-intitulam pesquisadores ou sei lá o que, tomem um rumo na vida e encontrem algo melhor para fazer. Vão pesquisar formas de curar doenças ou algo que faça algum bem a humanidade, ao invés de ficar contando estrelas e "diabo a quatro".

O que me consola em meio a essa "baita descoberta", é saber que a Astrologia não se baseia na Astronomia. Ou seja, essa nova constelação não deve afetar em nada nas nossas vidas. Como se isso fosse novidade, né?! Hehehehe

Beijão galera!


quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

...começamos tudo outra vez?


É gente, mais um ano começa. Novos desafios, novas cobranças, novas contas, novos gastos, novas aventuras, novos amigos, novos amores, TUDO novo! Hehehehe Mas no meio de todas essas novidades o melhor de TUDO é passar a virada de ano nas melhores companhias possíveis. Ano passado infelizmente não pude desfrutar disso, mas esse ano - ah, esse ano - como abusei!

O pessoal se dividiu em duas praias do sul. Uma parte dos amigos foi para Capão da Canoa, e a outra para Tramandaí/Imbé. Quem ficou? Vivian, Dany, Isa e eu. Jogados às traças em Poa, sem dinheiro para poder curtir um final de semana inteiro com os amigos no litoral. Mas, como somos um grupo "meio-fora-da-casinha", resolvemos de ultima hora colocar em prática a "Operação Bate-Volta Reveillon". E não é que deu certo?!

Na sexta-feira (31/12) a tarde, nos reunimos na casa da Dany, enchemos o cooler com cerveja e "pitchulinhas" e nos mandamos para o litoral também. Aconteceram alguns problemas de percurso antes de sairmos da cidade - até achamos que era sinal de que deveríamos ficar por aqui mesmo - mas isso não nos fez baixar a guarda em relação a "Operação". Fizemos os devidos ajustes e tomamos o rumo da estrada.

Durante o trajeto, "sensualizamos" com o pessoal que também se dirigia ao litoral. Quantos risos, hehehe. Lembra do caminhoneiro Isa? E do cara do Astra Vermelho que tava com uma vontade imensa de me encher de soco? Não pegamos trânsito, e muito menos nos estressamos. Apenas cantamos, dançamos e zoamos no caminho para o mar.

Chegando no litoral, fomos ao encontro do irmão da Isa (nossa salvação para tomarmos um banho). Quanto riso. O que era o diálogo da Preta e do sobrinho dela? "O meu", "Lá na baia", "Tá loko meu?!". Aff, mega tenso. Depois de tanto papo, conseguimos dobrar o dono do hotel e descolamos um banho por R$5,00/pessoa. Quando acabamos as negociações, encontramos Fran e Alice em Imbé. Além delas, encontramos também Romulo e Mayna com mais alguns amigos. Ficamos de papo um tempo e decidimos passar a virada juntos em Tramanda. Na sequencia, as gurias foram pra casa e nós, fomos ao encontro da outra metade do pessoal - Douglas, Mau, Julio, Léo, André, Googhy, Aloy e Yona - na guarita 148 (que virou ponto de encontro da galera pelo restante do feriado). Jantamos no ape deles e depois nos dirigimos para a praia.

O ano virou quando estávamos na metade do caminho. Foi uma distribuição de abraços, apertos de mãos, "Feliz Ano Novo!", "Tudo de bom pra familia!", whiskas sache. Então resolvi extravasar. Saí distribuindo selinho para todo mundo. Hehehehehe. Ano novo gente. Uma vez no ano não tem problema (=P). Ficamos zanzando pela beira da praia vendo o povo sair da casinha. Dançamos, cantamos e rimos. Até tomamos uma dose de tequila cada um para brindar a amizade no ano que recém havia iniciado. Então, depois de todos os processos rotineiros, resolvemos cair na gandaia. Só esperamos o Fá, Tiago e Fabrício chegarem de Poa e entramos na festa (mega tensa). Um casal foi para o carro dormir, pois não estavam afim de boate. Já o Sr Douglas, fugiu. Tivemos noticias dele às 13h do dia 01/01 quando liguei para o Arley e o mesmo informou que o "bonito" havia chegado em Capao da Canoa às 7h da manhã.

Bom - voltando à festa - dançamos, suamos e beijamos muuuuito. E por fim, acabei indo acompanhado para praia às 6h, jurando que ia conseguir algo mais (pelo menos era isso que tinha em mente). Mas, chegando no mar, TUDO mudou. Como a praia estava cheia, ficamos sentados em uma duna, apenas conversando. Só Deus sabe o quão bom foi aquele momento. Falamos de tantas coisas, vida, ex, trabalho, estudo, foram tantos papos vendo o sol nascer. Graças a esse ser, o que já estava ótimo - passar o reveillon na cia dos amigos, ver todo mundo sorrindo, cantar, brincar, falar besteira, pular as sete ondas, tomar tequila, ir para praia sem ter onde ficar - ganhou um bônus.

No dia 01, fui dormir às 13h e acordei às 15h. Enquanto dormia (acompanhado), o pessoal estava todo na praia curtindo um sol, um mar e jogando Uno. Quando acordamos nos juntamos a eles. Ficamos um tempo na praia e logo depois voltamos para casa, tomamos um banho e arrumamos as coisas para voltar a Porto Alegre. Voltamos com uma pessoa a mais. O Tiago tinha que pegar o seu vôo de volta ao rio no domingo às 6h. Então, demos uma carona pra ele.

Eis o meu reveillon. Não tenho palavras para agradecer a cada um dos amigos pelos momentos maravilhosos que passamos juntos. Não esperava que uma "indiada" seria tão significativa. No caminho nos divertimos muito, na praia nos divertimos muito e na volta nos divertimos também. hehehehehe

Se o ano de 2011 for tão bom quanto a virada, digo de boca-cheia que será um dos melhores anos que já vivi. Mas, para afirmar isso com todas as palavras, tenho que esperar que Dezembro chegue novamente. Que todos nossos planos para esse ano se realizem e que tudo de bom caia sobre nós.

Um Feliz 2011 e AQUELE beijo!


domingo, 2 de janeiro de 2011

...mais um ano chega ao fim?

Considerem esse post, o último de 2010. ;)

Nem acredito que já estamos comentando sobre isso. Como o ano passou rápido, cruzes! Pois é! Tanta coisa aconteceu em minha vida que infelizmente não tenho espaço suficiente para descrever tudo aqui. Mas vou tentar, em poucas palavras, colocar um pouquinho do meu 2010.

Já comecei o ano muito mal. Não comemorei a virada 2009/2010 por vários acontecimentos do dia 31 que me levaram a crer que eu devia mesmo era ficar em casa. Ou seja, não vi virada, não vi fogos, não desejei "Feliz Ano Novo!" a ninguém, apenas dormi e acordei no ano seguinte. Na primeira semana fui assaltado, levaram meu salário e meu celular que eu tanto amava. Dali por diante vi que esse não seria mesmo o meu ano. Em contra-ponto, conheci uma galera total sem noção que fez meu verão se transformar em algo fora do comum. Foram muitos risos, muita bebedeira, muitas viradas de noite na piscina do Espaço Irion e ainda por cima, ganhei um apelido que pegou em todos os cantos, menos trabalho.

Na sequencia, tive alguns desencontros com amigos de Canoas e São Léo que me deixaram muita saudade e algumas marcas por nem nos olharmos mais. Mas em relação a isso, ainda espero que um dia eu tenha a chance de ter pelo menos um conversa. No campo profissional, tive uma grande surpresa. Ganhei uma chefe maravilhosa que se demonstrou uma amiga de verdade - para todas as horas mesmo - e uma equipe que não tenho palavras para descrever. No decorrer do ano, nosso grupo de amigos passou por uma situação um tanto quanto chata e difícil, mas que se Deus quiser, aos poucos tudo irá se ajeitar.

Enquanto alguns amigos iam embora, outros chegavam, como por exemplo Árley, Cássyo e Doug (tão tímido quando entrou no grupo, já hoje, prefiro não comentar). Hehehehe. Ganhei muitos conselhos do Mau e do Júlio, não há como esquecer, pois até me viram chorando (vergonha).

No trabalho, muito me diverti com o pessoal. Ganhei uma irmã mais velha, que ao mesmo tempo é mais nova (né, Manu?). Ri litros com uma nova amiga sem noção nos nossos cigarrinhos diários (correto Elisa?). Vários debates com duas outras parcerias do fumódromo (Mi e Lu) que nunca dão risada das minhas piadas, mas tudo bem! Sem contar os imensos momentos com a chefe. Momentos quais não têm preço. Tantas bandas de carro, tantos almoços, tantas compras, tantos conselhos, tantas gírias, tantas "birras", tantos empréstimos...haushaushuahs... Pois bem, na área profissional não tenho mesmo do que reclamar.

O ano finda e com ele seguro apenas as lembranças boas. Lembranças do trabalho conquistado, lembranças do verão maravilhoso, lembranças dos amigos que ficaram, dos amigos que se foram e dos amigos que chegaram. Lembranças do bar, o tão comentado Capadócia. Gente, quanta coisa rolou nesse bar, quanta história começou naquela rua. Deh e Kaká nos aturaram o ano inteiro e pelo que me parece, continuarão aturando por um bom tempo ainda. =D

Comecei o ano achando que seria um ano muito ruim, mas pelo contrário, foi ótimo. Passei por algumas crises - não nego - mas consegui dar a volta por cima sempre de cabeça erguida, pois tenho o que poucas pessoas tem o privilégio de conquistar: Amigos!

Tinha tanta coisa que eu queria escrever, mas infelizmente o momento não permite (uhasuhuahsuhs). Só espero que 2011 seja tão bom quanto foi 2010 e que a vida nos permita viver tudo intensamente.

Minha dica para 2011: VIVA! Viva tudo com a maior energia possível. Viva como se não houvesse o amanhã, pois ele é incerto. Não deixe de aproveitar cada minuto de sua existência se preocupando com o que irão falar de você. Esqueça as pessoas invejosas e mal-amadas que não têm coisa melhor para fazer do que olhar para os outros e não cuidar do próprio rabo. Falei!

A todos os amigos um Feliz 2011! E que Deus continue olhando por nós e tornando nossas vidas cada vez mais loucas!

AQUELE ABRAÇO!!!!


sábado, 4 de dezembro de 2010

... eu tenho a melhor chefe do mundo?


Hoje vou dedicar esse post especialmente para ela, que vem me cobrando há mais de dois meses um citação no blog. Como citação é algo muito pequeno para expressar o que sinto, vou logo fazer um post. Não foram muitos os "chefes" que tive nos meus 6 anos de vida profissional. Se for parar para contar, foram cinco na primeira empresa, três na segunda e Ela na atual. Seu nome, Graziela Deus, também conhecida por Grazi e virtualmente chamada de "A Menina do Balão".

Conheci a Grazi em Setembro do ano passado em uma entrevista para o cargo de estagiário na ZH. Logo no primeiro encontro foi algo muito sobrenatural. Ela conseguiu me deixar muito à vontade. Fora as perguntas básicas da entrevista, conversamos sobre vários assuntos, dentre eles, signos. Parecia que já nos conhecíamos a anos e estávamos sentados em um dia qualquer falando de coisas da vida. E, depois de tanto papo adivinhem quem foi o escolhido para vaga... Eu! "Orgulho da mãe!"

Já nos primeiros dias confessei alguns segredos meus para ela e, ela muito à vontade, foi logo confessando alguns também. Nunca tinha passado pela minha mente ter uma amizade assim tão forte com um superior profissional. É uma coisa muito louca. Alguns colegas até comentam que a conexão que a Grazi e eu temos é algo de outro mundo. Dizem que é muito bom ver os dois juntos. São duas pessoas que estão sempre de bom-humor e que passam uma energia muito positiva para quem está perto.

Só Deus sabe o quanto sou grato pela chefa que tenho. E não é puxada de saco. É amor mesmo. Quem mais me socorre todo meio de mês com um extra emprestado? Quem comprou um celular pra mim na época que fui assaltado? Quem me ajudou durante um bom tempo com a facul? Com quem dou bandas no shopping à procura de roupas e utensílios domésticos? Quem chega na segunda-feira e vai tomar café comigo no "Seu Gilberto" para nos atualizarmos do final de semana? ELA. Hehehehehehe

Nem sempre é um mar de rosas, FATO! Pois querendo ou não, toda mulher tem um momento no mês em que a mesma está mais sensível e mais irritada ao mesmo tempo. Ou seja, acontece de às vezes soltarmos faíscas um para o outro, mas isso é totalmente relevante perto do resto. =)

Ciúmes? TENHO e muito. Tanto que, ganhei um estagiário esse mês e já fui logo dizendo pra ela: "Você é minha! Não vou te dividir com estagiário algum. Não quero saber de confissões para ele também. Não quero ficar ouvindo cochicho de vocês, ou seja lá o que for. Sou ciumento e não nego. Eu te vi primeiro!" Ela me olhou por alguns segundos com uma cara estranha e do nada, caiu na gargalhada (aquela que só ela dá e que chega a chorar de tanto rir).

Isso sem comentar a ligação que também tenho com o noivo dela, qual chamo de "Papito". Hehehehe. Ambos são ótimos. Legítimas relíquias que eu encontrei no meio do caminho da vida. Não sei se em um outro departamento ou outra empresa terei um superior tão bom quanto ela. A única certeza que tenho, é que eu não sairei de sua vida tão cedo. Vai ter que me engolir por muito tempo ainda chefa.

Não sei se o post ficou legal, mas é de coração que escrevo. Amo você e sei que você também sente alguma coisa por mim. Só rezo a Deus que ele preserve nossa amizade pessoal e profissional por muitos e muitos anos. Que ainda tenhamos muito que rir um do outro. Que tenhamos muitas coisas do que falar, criticar e aprovar. Que nossa equipe continue tão boa quanto já é. Vamos levantar a cabeça e mostrar para que viemos e que não estamos aqui apenas de passagem. Para quem acha que somos puxa-sacos: danem-se! Afinal:

"Cada cachorro que lamba sua caceta!"

Beijão! s2


terça-feira, 23 de novembro de 2010

...fazer programa de casal sendo você um solteiro?

Rá! Também gostaria muito de entender isso, mas sinceramente não consigo. Ultimamente ando me metendo em cada uma que me dá vontade de sair correndo às vezes.

Quando era casado, todos nossos amigos eram solteiros. Logo, de tanto conviver e fazer programas de solteiros, acabamos nos separando. Éramos no total 8 pessoas saindo para noite, dando bandas na redenção, conversando em uma mesma janela do msn e fazendo jantinhas regadas de "Eu Nunca" e "Verdade ou Consequencia?". Como acham que uma relação dessas ia durar?

Afinal, estou solteiro há pouco mais de um ano. Saindo, dançando, rindo, me divertindo, aprontando, flertando, etc. Mas, vejo que acabo de cair em um "mato-sem-cachorro". Para vocês terem uma pequena noção do que estou passando, alguns casais já me chamam de "Anexo". Baseado em que?

Reclamando? NÃO. Apenas precisava escrever sobre isso!

Me divirto muito com minhas "matrizes". Só fico meio assim, quando um deles vem me contar sobre os programinhas de casais que fizeram com outros casais. Sinceramente, sinto um pouco de inveja, não nego.

Exemplo: imagine você, solteiro, liga para um amigo afim de marcar algo no sábado a tarde e o mesmo te responde que irão sair ele e a namorada com o casal que eles conheceram no SEU aniversário para fazer um "programinha-de-casal" na serra. CU!

Exemplo²: você está trabalhando em plena quarta-feira e recebe uma chamada de sua melhor amiga. De início, imagina que é apenas um convite para tomar uma cerveja no Capa. Logo, você aceita. Quando se dá por conta, você está deitado em uma ponta da cama, sua melhor amiga no meio e o namorado dela (que também é seu amigo) na outra ponta. "Maldita Intimidade!" Não pensem besteira. Apenas bebemos a cerveja no bar e depois fomos pra casa dormir. FATO!

Mas tudo bem! Faz parte. Eu escolhi esse caminho e tenho que aprender a lidar com ele (Hehehe). Adoro meus amigos solteiros e adoro meus amigos comprometidos e em momento algum deixarei de fazer programas com ambos os grupos. E se pá, até curti o apelido "Anexo"!

Por hoje é só galera!

Abração

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

...criamos expectativas em cima de incertezas e nos frustramos depois?

Segundo o dicionário online Priberam:
Expectativa = Esperança baseada em supostas probabilidades ou promessas.
Incerteza = Estado de coisa incerta (duvidosa)
Frustração = Ficar sem resultado. Perder-se prematuramente. Privar (a outrem) o que o mesmo espera.

Não consigo mais contar nos dedos o quanto já me frustrei por acreditar em coisas incertas. Tenho certeza que não sou o primeiro a passar por isso e, não serei o último. Às vezes, por querer pensar positivo e tentar ter fé de que algo dará certo, apostamos todas nossas fichas em incertezas e acabamos abalados quando o que esperamos não ocorre como planejamos.

Como conseguimos cair sempre na mesma armadilha? Será que não cansamos de dar de cara no muro quase todas as vezes? Até quando continuaremos criando essas malditas expectativas? Praguejamos, xingamos, às vezes gritamos para o nada, mas do que tudo isso adianta se não criamos vergonha na cara? Ah pois é! Não sei. A única certeza é que estou passando pela última fase do ciclo: a maldita FRUSTRAÇÃO.

Andei passando bons momentos que me fizeram criar a EXPECTATIVA. E, em determinado tempo imaginei que o que estava planejando poderia dar certo ou errado. Logo, a maldita expectativa foi aumentando por pequenos detalhes que apareceram no decorrer do mês. Mas hoje, levei um banho de água fria com a tal da frustração.

Não fui o único que passei por isso hoje. Uma amiga minha também está enfrentando a frustração no ambiente profissional. E, não quer mais cair nessa brincadeira novamente. Duvido! Temos apenas duas diferenças nisso tudo. Ela está frustrada no âmbito profissional, mas em contra-ponto o seu pessoal está ótimo. Eu, no profissional estou me considerando muito bem, já o efetivo/pessoal está literalmente uma bu#&%@. Falei! Espero que sirva de lição (novamente) e que daqui pra frente a vergonha na cara prevaleça um pouco mais em ambos.

Pessoas: mais juízo & orgulho. Por outro lado, menos humilhação & disponibilidade para quem TALVEZ não saiba aproveitar.

Estava há mais de dois meses querendo postar algo sobre esse assunto, mas sempre que começava a escrever, alguém me colocava para cima e acabava apagando tudo. Mas hoje foi!

Um exemplo do parágrafo acima ocorreu hoje. A "Prof" me ligou na parte da tarde afim de me avisar que estaríamos no Capadócia à noite. Eu de início disse que não iria. Mas, falando com a "Dmenor" há alguns minutos atrás tive certeza de que o melhor lugar para estar no momento é na companhia das pessoas que fazem valer cada minuto que tenho de vida.

Felizmente não me deixei levar pelo carinho amigo e consegui finalizar esse post! Deixo para vocês um vídeo muito massa que uma "amiga" me mandou semana passada. Espero que gostem.

Beijonez e era isso!! =D